Papa telefona para criança

Papa Francisco telefona para um menino cego que lhe escreveu uma carta contando seu sonho

O Papa Francisco fez uma ligação surpresa para Marco Rega, um menino cego de 12 anos que lhe escreveu de Turim (Itália) no mês de janeiro, uma carta na qual diz que tem o sonho de conhecê-lo pessoalmente.

Segundo o jornal italiano La Stampa, na carta enviada por Marco ao Santo Padre, o pequeno conta ao Pontífice que é “um menino prematuro, nascido de 27 semanas com 600 gramas. Eu fiquei no hospital por seis meses antes de poder ir para casa com a mamãe e o papai”.

“O oxigênio que me permitiu permanecer com vida provocou o descolamento da minha retina e, apesar das operações quando ainda estava no hospital, meu problema não pôde ser resolvido e fiquei cego dos dois olhos”, indicou Marco.

Na carta, o menino que frequenta a escola Dante Alighieri Kennedy, em Turim, disse ao Papa que é um apaixonado pela música, que gosta de rezar e que vive com muita confiança, apesar de sua deficiência.

“Todo domingo escuto a transmissão da Praça de São Pedro e tenho um grande desejo de conhecê-lo pessoalmente”, assegurou Marco em sua carta.

Marco Rega e seus pais. Foto: La Stampa

Angela Pareti, mãe de Marco, disse que todos ficaram surpresos em casa na quarta-feira, 22 de abril, quando o Papa ligou e ela atendeu o telefone.

“O telefone mostrava na tela que o número que ligava era ‘anônimo’ e, por um segundo, estive tentada a não atender embora no final sim atendi  o telefonema. Escutei uma voz estrangeira que, depois de um brevíssimo instante, me disse que ia passar para o Papa. Pensei que fosse uma brincadeira”, contou Angela.

O Santo Padre agradeceu a carta e a mãe de Marco comentou que a ligação “não era uma brincadeira já que, enquanto (o Papa) falava com Marco, felicitou-o por como tinha escrito a carta e citava partes que somente nós e ele poderíamos conhecer. Foi emocionante”.

Angela também disse a La Stampa que “Marco estava muito emocionado e muito feliz, comovido. O Papa Francisco realmente nos fez um grande e belo presente”.

A carta do pequeno Marco terminava assim: “Tenho uma boa memória e, ouvindo você rezar, aprendi as orações em latim e rezo-as com frequência antes de dormir. Espero que você possa ler minha carta e que possa realizar meu sonho”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *