Cearense pode ter sido o brasileiro mais idoso a vencer a COVID 19

Um senhor cearense pode ser o brasileiro mais velho a vencer a batalha contra a doença

Osenhor Diolindo Ferreira Neto, de Carnaubal, na Serra da Ibiapaba, Ceará, pode até o momento ser o brasileiro mais velho a sobreviver ao contágio do novo coronavírus, aos 102 anos.Na semana passada, o cearense recebeu alta após duas semanas de isolamento domiciliar com acompanhamento médico, informou a Secretaria de Saúde de Carnaubal.

Seu Diolindo havia sido diagnosticado com a doença em 4 de maio, cinco dias após ter procurado a Unidade Mista Nossa Senhora Auxiliadora de Carnaubal com sintomas leves, como febre e tosse.

Neste fim de semana o Ceará ultrapassou o Rio de Janeiro e passou a ser o segundo estado mais afetado pela pandemia no Brasil, atrás apenas de São Paulo, com 34.573 casos, 2.251 mortes e 89% dos leitos ocupados.

O Brasil, atualmente o terceiro país com mais número de infecções e sexto com maior número de mortes, registrou um total de 330.890 casos e 21.048 óbitos, sendo que 1.001 deles foram registrados de sexta (22/5) para sábado (23).

Desde 14 de abril, o registro do homem mais idoso de que se tinha notícia de sobreviver à Covid-19 no país tinha sido o veterano da Segunda Guerra Mundial Armelindo Piveta, aos 99 anos, em Brasília.

Ele tinha passado oito dias internado e, ao receber alta, foi acompanhado até a porta de saída com palmas da equipe médica do Hospital das Forças Armadas. Ele foi segundo tenente na Força Expedicionária Brasileira (FEB), que chegou a atuar na Segunda Guerra.

O Distrito Federal é atualmente o 13º estado no Brasil com mais casos de Covid-19, 5.948 infectados e 90 mortes.

No mundo, tem sido mais comuns casos de mulheres centenárias se recuperarem da doença. Como uma iraniana de 103 anos, ainda no início da pandemia, a norte-americana Angelina Friedman, 101, e María Branyas, 113, considerada a mulher mais velha da Espanha, cuja história já contamos por aqui.

No Brasil, uma das mulheres mais idosas a se recuperarem do Covid-19 foram a senhora Hilda Pikel, 98 anos, de São Paulo, após oito dias de internação.

Ela e o marido, que também foi infectado e chegou a ficar 40 dias internado com a doença, comemoram bodas de ouro nesta semana. Na semana que vem dona Hilda completa 99 anos.

Antes dela, em abril, a senhora Nathalina Cilona, de São José dos Campos (SP), recebeu alta após 12 dias de internação na UTI. Ela provavelmente contraiu o vírus em um hospital local onde havia sido internada no início de março após ter sofrido um AVC.

Os idosos formam um dos principais grupos de risco da Covid-19, mas como provam os casos acima, enquanto há esperança, há possibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *